Autoavaliação Institucional

 

A Autoavaliação Institucional constitui um processo por meio do qual a instituição analisa internamente o que é e o que deseja ser, o que de fato realiza, como se organiza, administra e age, buscando sistematizar informações para analisá-las e interpretá-las com vistas à identificação de práticas exitosas, bem como a percepção de omissões e equívocos, a fim de evitá-los no futuro. Tem, como eixo central, após trabalho de análise e interpretação, compor uma visão diagnóstica dos processos pedagógicos, científicos e sociais da instituição, identificando possíveis causas de problemas, bem como possibilidades e potencialidades.

 

A Autoavaliação Institucional da qual participam alunos, corpo técnico administrativo e docente, além de abordar questões referentes às práticas pedagógicas considera questões referentes a outros aspectos institucionais como infraestrutura, atendimento, avaliação, planejamento e equipamentos. O objeto de análise é o conjunto de dimensões, estruturas, relações, atividades, funções e finalidades da Instituição, centrado em suas atividades de ensino, pesquisa e extensão segundo o seu perfil e missão. Está compreendida, na avaliação da instituição, a gestão, a responsabilidade e compromissos sociais e a formação acadêmica e profissional com vistas a repensar sua missão para o futuro.

 

A Autoavaliação Institucional tem caráter pedagógico e formativo, pois é uma experiência social significativa que forma valores e promove mudanças da cultura avaliativa, potencializando o desenvolvimento humano e institucional. A ênfase do processo avaliativo é qualitativa, pois tem por propósito entender processos de construção da realidade mediante coleta e interpretação de comportamentos sociais e práticas cotidianas. A técnica qualitativa é combinada à quantitativa.

 

O programa de Autoavaliação Institucional, coordenado pela Comissão Própria de Avaliação (CPA) prioriza os indicadores internos que são relevantes para desenvolvimento da instituição. A metodologia utilizada no processo de Autoavaliação Institucional possibilita identificar, analisar e entender a realidade institucional. O princípio da flexibilidade é assegurado no processo avaliativo, uma vez que ajustes sempre são necessários, evidentemente sem comprometer os propósitos maiores do processo avaliativo.

 

Os trabalhos e relatórios da CPA são considerados como referência para as questões de diagnóstico na elaboração do planejamento Institucional e dos cursos. Em decorrência da autoavaliação são vislumbradas e desenvolvidas atividades com a finalidade de despertar nos estudantes o espírito da inovação, estimular a criatividade e gerar motivação, situações que fortalecem o estudo, a pesquisa, a construção e assimilação de conhecimentos. O ensino crítico, reflexivo e criativo vem sendo colocado em prática para formar egressos com conhecimentos científicos mais sólidos, capazes de socializar o conhecimento adquirido.

 

As tecnologias de informação e comunicação estão sendo gradativamente incorporadas às práticas pedagógicas da Instituição. Procedimentos e experiências, com metodologias mais ativas ou interativas, tem sido estimulados e difundidos no seio da instituição para facilitar a quebra de posturas rígidas ou de acomodação, tanto por parte de quem ensina quanto de quem aprende.

 

A Instituição encontra-se em franco desenvolvimento, quer seja em relação a infraestrutura física ou a alta qualificação do seu pessoal, o que sem dúvida configura grandes avanços em todas as suas áreas de abrangência.

 

 

 

DESTAQUES

Convenção Cinema Comentado Audiencia Simulada Filosofia do Direito

Monitoria  

Salas climatizadasConv Coletiva Direito Trabalhador Galeria

FENORD | É Direito é FENORD